Translater

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Prefeitura de Soledade recebeu mais de 25 milhões de reais em 2017

O município de Soledade no Curimataú paraibano conta com cerca de 14 mil habitantes, segundo dados do IBGE / 2010. Atualmente é administrado pelo empresário Geraldo Moura (PP). 

Segundo informações do portal do Tribunal de contas do Estado, a prefeitura da cidade recebeu de janeiro a novembro de 2017 nada menos do que R$ 25.061.118.87 (vinte e cinco milhões, sessenta e um mil, cento e dezoito reais e oitenta e sete centavos) como se observa na imagem a seguir.

Clique na imagem para ampliar


Qualquer cidadão tem acesso a esses dados que estão no portal do Tribunal de Contas do Estado, basta pesquisar por SAGRES ONLINE.

____________

O Sintab - Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema, realizou na manhã de hoje (09) uma manifestação pública em frente ao prédio da prefeitura para reivindicar direitos que segundo os organizadores, a gestão municipal de Soledade está tirando dos servidores municipais. 

Da redação 



segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Dom Dulcênio envia sua primeira carta à Igreja de Campina Grande

Em carta, Dom Dulcênio Fontes de Matos, pede que se faça em todas as missas a oração para despertar vocações sacerdotais e seja recitada juntamente com todos os fiéis.


Confira a íntegra da carta

Campina Grande, 28 de dezembro de 2017.
Reverendíssimos Sacerdotes e Diáconos, caríssimos Diocesanos,
Nesta minha primeira carta à Igreja de Campina Grande, escrevo-vos no espírito de paternidade e solicitude pastoral. Confiantes em Deus, que constituiu na Santa Igreja Católica o Seu Povo, contamos com a Sua fidelidade. Deus é fiel eternamente, não obstante a infidelidade que, por vezes, lateja em nosso coração. Assim, confiamos também na sua garantida promessa tornada realidade, sobremaneiramente, em Cristo, o Bom Pastor, e n’Ele naqueles que foram constituídos Seus ministros: “Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração” (Jr 3,15). E assim “a Igreja, Povo de Deus, experimenta continuamente a realização deste anúncio profético e, na alegria, continua a dar graças ao Senhor. Ela sabe que o próprio Jesus Cristo é cumprimento vivo, supremo e definitivo da promessa de Deus: ‘Eu sou o Bom Pastor’ (Jo 10,11). Ele, ‘o grande Pastor das ovelhas’ (Hb 13,20), confiou aos apóstolos e aos seus sucessores o ministério de apascentar o rebanho de Deus”. (SÃO JOÃO PAULO II, Exortação Apóstolica Pós-sinodal Pastores Dabo Vobis, 1).
Neste intuito da fidelidade de Deus em prover o Seu Povo de ministros que, pelo Sacramento da Ordem, ensinam, santificam e regem a Igreja nas vezes do Cristo Servo e Sacerdote, também nos caberá fazer a nossa parte, que sempre será iniciada pelas nossas preces, porque isto foi querido pelo próprio Senhor Jesus: “Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe” (Lc 10,2; Mt 9,37-38). É com este intento que, nesta ocasião, me dirijo aos meus diocesanos: desejo, como Bispo, colocar a Igreja Campinense em ação para rogarmos juntos ao Senhor que envie vocações ao sacerdócio ministerial. Façamos uma campanha duradoura; sejamos uma Igreja pedinte de pastores!
Para tanto, nesta intenção comum, apresento-vos uma oração que, comprovadamente, suscita vocações, composta por Dom Luciano José Cabral Duarte, Arcebispo Emérito de Aracaju, quando da escassez vocacional naquela Igreja Particular:
“Divino Salvador, Jesus Cristo, concedei-nos sacerdotes santos, inflamados no fogo do vosso amor, totalmente doados à edificação da vossa Igreja. E vós, ó Maria, Mãe dos sacerdotes, vós que sois a Onipotência Suplicante, socorrei-os a todos, nos trabalhos e dificuldades em que se encontrarem. Virgem Mãe e Rainha dos Apóstolos de Jesus, aumentai nas famílias o respeito e o amor ao sacerdócio; suscitai novas vocações sacerdotais e religiosas. Guiai, segundo o amor do vosso coração, os nossos seminaristas para que sejam mais tarde dignos Ministros do Altar, santos e dedicados pastores do povo Cristão. Assim seja!”.
No meu zelo e autoridade episcopal pela Igreja de Campina Grande, solicito que, em todas as Santas Missas, após a Oração depois da Comunhão, seja esta prece recitada por todos. Para tanto, faz-se necessário que o nosso povo disponha de exemplares impressos até que a tenha, vivamente, grafada na memória.
Se pedimos à Divina Providência sacerdotes, caber-nos-á um trabalho infatigável de promoção vocacional entre os nossos jovens. Desta maneira, apresento-vos as Obras das Vocações Sacerdotais (O.V.S.), que além de colocar a Diocese de Campina Grande em estado de sensibilidade vocacional, também, mediante contribuições monetárias, sustentará o custeio do grande número de jovens que sentirão o apelo do chamado sacerdotal e se decidirão em seguir o Bom Pastor mais de perto como pastores da Igreja de Cristo. Esta condição de mobilização deverá encontrar lugar em todas as paróquias e comunidades como uma urgência perene. E, se grandioso e desafiador é o trabalho vocacional que nos espera, maior deverá ser o empenho para que a Igreja não careça de pastores, mas transborde no seu celeiro as sementes vocacionais a serem germinadas, cultivadas e, por fim, frutificadas.
Que a Virgem da Conceição, a “Onipotência Suplicante”, Mãe desta nossa Diocese e das Divinas Vocações, possa nos acompanhar com as suas bênçãos e intercessão.
Em Cristo Pastor, abençoo-vos,
Dom Dulcênio Fontes de Matos
Bispo de Campina Grande
Fonte da carta: site oficial da Diocese de Campina Grande